5 Coisas que você precisa saber sobre o mercado dos EUA

O mercado de capitais dos EUA é o maior do mundo e traz uma grande variedade de oportunidades para investidores e especuladores. Antes de aproveitá-lo, entretanto, é preciso identificar algumas de suas características e curiosidades.

Existem aspectos que são bem diferentes para quem está acostumado a operar ou investir no mercado brasileiro. Com mais conhecimento, por outro lado, é simples selecionar e explorar as alternativas mais adequadas para os seus objetivos.

A seguir, veja 5 coisas para saber sobre investir nos Estados Unidos!

1. Possibilidades do mercado fracionário

No mercado brasileiro, as negociações na bolsa normalmente são feitas em lotes. Além disso, há o mercado fracionário, que permite comprar unidades de Ações, por exemplo. Ao investir nos Estados Unidos, você terá ainda mais possibilidades.

Isso porque o país não prevê a compra e a venda de Ações e outros ativos e derivativos em lotes. Pensando no mercado brasileiro, vamos considerar o investimento em ouro. A negociação de Mercado Futuro acontece em lotes padrões de 250 gramas.

Se quiser investir em 10 gramas ou em 0,225 gramas, deverá recorrer ao mercado fracionário. O mesmo vale para lotes mínimos de Ações (100). Nos EUA, as oportunidades são mais amplas, porque as compras podem ser, de fato, fracionadas em frações de um ativo.

Ou seja, você pode adquirir a quantidade desejada — e ela não precisa ser um número inteiro. Se não tiver ou não quiser aportar a quantidade mínima que é exigida para comprar 1 Ação, o investidor tem a chance de comprar apenas uma parte — como 0,25 de um papel.

Essa é uma forma de melhorar o acesso do pequeno investidor e significa que não é preciso alocar recursos além do planejado. Também é uma maneira de facilitar as operações, já que basta abrir a ordem de compra com o total de dinheiro desejado para adquirir a posse na proporção em questão.

A possibilidade está presente na maioria das corretoras e possibilita liberdade e autonomia para você. Assim, pode favorecer a consolidação de carteiras personalizadas para objetivos específicos.

2. Maior isenção de IR sobre ganho de capital

A tributação é uma das questões que deve ser observada por quem investe. Afinal, quanto maior for o pagamento de imposto, maior é o comprometimento da rentabilidade. Caso um dos objetivos seja aumentar o retorno, a característica se torna crucial.

Em princípio, o mercado brasileiro e o norte-americano são bem parecidos. Diante da liquidação de operações com ganho de capital (ou seja, lucro), a alíquota é de 20%. Contudo, no caso dos investimentos realizados no Brasil, o limite de isenção de IR é de R$ 20 mil (dados de 2020).

Já nos Estados Unidos, a isenção é maior: não é preciso pagar imposto para vendas menores que R$ 35 mil. Então uma mesma operação poderia ser tributada no Brasil e isenta nos EUA, por exemplo. Tal característica também ajuda a tornar a declaração mais simples e prática, de modo geral.

Contudo, é preciso sempre verificar os valores e regras de isenção, porque eles podem ser alterados ou atualizados ao longo do tempo. Além disso, vale destacar que, diferente do que acontece no Brasil, é cobrado Imposto de Renda sobre os dividendos recebidos nos EUA.

3. Horários da bolsa

Se você é brasileiro e quer investir nos EUA precisa ficar atento aos horários de funcionamento das bolsas. Por ter dimensões continentais, os Estados Unidos têm diferentes fusos — o que impacta no tempo de operação.

É comum que as bolsas utilizem o mesmo padrão: o Eastern Time (ET), que tem diferença de 4 horas para o Brasil, na maior parte do ano.

Enquanto no Brasil a bolsa de valores opera das 9h45 às 18h, nos EUA há uma grande amplitude no horário de operações. Em alguns lugares, a negociação começa às 3h30 ET (7h30 no Brasil, em média) e segue até 16h ET (20h, no Brasil).

Além da variação natural dos fusos, há uma variação quanto ao modelo de operação. Classes de ativos e derivativos diferentes podem apresentar horários distintos. Há, ainda, uma variedade entre pré-abertura, negociação principal e negociação tarifa (o que seria o nosso after market).

Como há regras específicas sobre os horários de certas negociações, conhecer o horário do mercado dos EUA é fundamental para investir no exterior. Contudo, já é possível perceber que as bolsas americanas apresentam horários ampliados em relação à brasileira.

4. Diversidade de alternativas

Por ter grande relevância no cenário mundial, o mercado dos EUA apresenta alternativas para todos os perfis de investidor e objetivos. Você consegue investir em empresas dos EUA de diversas maneiras.

É possível aportar em Real Estate Investment Trusts (REIT), que estão ligados ao mercado imobiliário. O mercado também apresenta um grande número de ETF (fundos de índice). Inclusive, com investimentos no mundo inteiro.

Na hora de investir em Ações americanas, você tem acesso a diversas das maiores empresas do mundo. Por exemplo, Google, Apple, Amazon e assim por diante. As bolsas norte-americanas são as maiores do mundo. Logo, há muitas possibilidades – nos mais diferentes setores.

Isso também se manifesta na grande variedade do mercado de derivativos — como as Opções. Um dos grandes diferenciais é que, diferente no Brasil, o vencimento delas ocorre semanalmente. Na prática, isso quadruplica o volume de vencimentos, o que aumenta bastante a liquidez.

5. Maior liquidez

Por fim, sendo o maior do mundo, o mercado do EUA tem um imenso volume de negociação todos os dias. Há mais de uma bolsa em operação e centenas das maiores empresas do mundo negociam seus papéis por lá.

A cultura de investimento entre a população também é muito maior. Tudo isso representa uma liquidez elevada — bem maior do que a encontrada no Brasil, por exemplo. Para quem recorrer às operações de day trade e outras estratégias de especulação, pode ser especialmente interessante.

Na prática, você terá menos dificuldade na hora de negociar um ativo – e muito mais oportunidades para realizar seus traders. Então fica mais fácil converter o seu investimento em recursos líquidos ou encontrar pontos de entrada e saída de operações, de acordo com os seus objetivos.

No mercado brasileiro, por outro lado, o volume é menor e muitas operações são difíceis de montar por conta disso.

Como você pode ver, o mercado dos EUA é bastante diferente do brasileiro. E, portanto, oferece oportunidades únicas aos investidores.

Conhecendo as características de funcionamento e pensando no seu perfil e nos seus objetivos, há como explorar as possibilidades disponíveis – e impulsionar os resultados dos seus investimentos! Quer começar a investir nos EUA com mais segurança?

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo