5 Motivos para considerar fazer seus investimentos nos EUA

Quando você decide fazer investimento nos EUA, pode aproveitar o mercado financeiro mais sólido, amplo, flexível e diversificado do mundo. Com uma economia forte e capaz de se recuperar mais rapidamente, o país é atraente para investidores de todos os perfis.

No entanto, é possível ir além desses motivos. Conhecer as outras razões para fazer um investimento do tipo permitirá que você aproveite os seus recursos e potencialmente alcance os resultados desejados.

A seguir, veja 5 razões que explicam por que investir nos EUA — e saiba como fazer isso!

1. Diminuição da concentração de investimentos

Quando você aporta todos os recursos em alternativas exclusivamente nacionais, seus investimentos ficam concentrados no Brasil. Ainda que estejam distribuídos entre alternativas sem correlação, o país é um ponto comum entre todos eles.

Quanto mais concentrada é a sua carteira, mais intenso tende a ser o risco atrelado. Por isso, é preciso ter atenção e considerar caminhos para suavizar o quadro.

Aprender como investir nos EUA é uma forma de diminuir os possíveis impactos. Afinal, os investimentos deixam de estar concentrados em um só mercado e passam a aproveitar as condições de, no mínimo, dois países.

Também é uma forma de variar seus investimentos em termos de segmento. Ao comprar Ações nos EUA, por exemplo, você pode explorar diferentes setores, como o de tecnologia.

O país é o local de origem das maiores empresas do ramo e permite que você invista nesses negócios. Por outro lado, o setor de tecnologia brasileiro não apresenta alternativas de tanto impacto.

2. Redução dos efeitos das condições internas

Depois de entender a questão da concentração, vale saber que investir nos Estados Unidos evita que a sua carteira fique atrelada apenas às condições internas do cenário. Isso se relaciona, principalmente, à política nacional e seus impactos nos investimentos.

No Brasil, algumas decisões do Governo, resultados de eleições e até escândalos de corrupção têm grande impacto no comportamento do mercado. Em momentos turbulentos, como durante uma crise política e econômica, a volatilidade aumenta.

Com a internacionalização dos investimentos, os impactos das condições internas se tornam menores. Afinal, uma parte da carteira não sofrerá variações causadas pela política brasileira, por exemplo.

Essa é uma forma de obter um pouco mais de estabilidade e de segurança, especialmente diante de uma situação complexa.

3. Prevenção contra desvalorização cambial

A inflação é a uma das responsáveis pela corrosão do poder de compra brasileiro, com uma desvalorização progressiva da moeda. Além disso, em momentos de dificuldade é comum que o Real perca valor em relação a outros câmbios — especialmente, ao Dólar.

Por outro lado, quando você decide saber como investir nos EUA é possível driblar essas dificuldades. Isso acontece porque o seu investimento estará atrelado ao Dólar, que é considerado uma moeda forte e mais estável.

Logo, há menos riscos de você perder dinheiro pela desvalorização do câmbio. Na verdade, o provável é que surja a chance de ter mais ganhos graças à variação do valor do Dólar, em relação ao Real.

Imagine um investimento que foi feito quando o dólar estava a R$ 2,50. Com a moeda ultrapassando R$ 4,00 e a decisão de venda, o investidor pode ganhar com a potencial valorização do ativo e, ainda, com a conversão cambial.

O investimento em Dólar também está ligado ao chamado hedge ou proteção de carteira. Por causa do seu potencial de valorização, a moeda permite que o seu portfólio fique mais robusto e protegido.

4. Aproveitamento das condições internacionais

Além dos pontos que você já conferiu até aqui, aprender como investir no exterior é interessante pela exposição da carteira. Em vez de ficar limitada ao crescimento interno, sua carteira poderá explorar possibilidades atreladas ao mercado internacional.

A exposição ao cenário externo faz com que o desempenho dos seus investimentos também esteja ligado a notícias e decisões de outros países. Muitas vezes, tais questões têm menor efeito nos investimentos do Brasil — o que pode levar à perda de oportunidades.

Portanto, aportar seu dinheiro de maneira internacional ajuda a explorar as condições do cenário global e potencialmente obter ganhos. Em especial, em uma economia mais robusta, como a dos Estados Unidos.

5. Diversificação do portfólio

Para ajustar o perfil de risco da sua carteira, a diversificação é especialmente necessária. A ideia é ter investimentos cujos comportamentos não aconteçam a partir das mesmas condições. Assim, possíveis perdas de um investimento podem ser compensadas pelos ganhos simultâneos em outro.

No entanto, como você viu, a concentração de investimentos em um só país faz com que a diversificação seja parcialmente prejudicada. Mesmo com aportes bem diferentes, todos estão atrelados ao mesmo mercado.

Desse modo, a internacionalização permite equilibrar o perfil de risco. Você consegue diversificar nos Estados Unidos tanto por estar exposto a condições de um mercado diferente quanto pela variedade de escolhas. Então, ocorre uma diluição do risco do portfólio.

Como fazer investimentos nos EUA?

Agora, você já sabe por que investir nos Estados Unidos e o que o mercado externo tem a oferecer. No entanto, isso não é suficiente. Para aproveitar as vantagens, também é necessário entender como direcionar seus recursos para alternativas dos EUA.

Basicamente, há dois modos principais e o primeiro inclui os investimentos no Brasil. Você pode investir em um ETF que replica a carteira teórica de índices dos EUA, em BDRs ou em fundos expostos ao mercado internacional, por exemplo, sem sair da B3.

A outra possibilidade, que pode ser mais atrativa, é o investimento direto. Você deverá ter uma conta em instituição financeira norte-americana, como corretora ou banco de investimentos. Assim, poderá fazer as escolhas e realizar os aportes, transferindo e declarando os valores.

Para tomar decisões adequadas ao seu perfil e aos seus objetivos, é essencial aumentar seus conhecimentos. Com a ajuda do Canal de Alta, você poderá saber mais sobre os investimentos de longo prazo e mesmo sobre as possibilidades de especulação no exterior.

Como você viu, fazer investimento nos EUA é vantajoso pelas características e pelo potencial do mercado. Com um bom nível de conhecimento sobre o mercado e consideração sobre as suas necessidades, é possível explorar os pontos positivos citados aqui!

Quer aprender de vez a investir nos EUA? Inscreva-se no curso do Canal de Alta (link para o curso) para aproveitar as oportunidades que somente o maior mercado do mundo pode lhe oferecer!

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo