Fundo passivo de criptomoedas estreia na B3 a partir de 1º de outubro

Para investidores que gostam de apostar em soluções atreladas a moedas digitais, os fundos passivos de criptomoedas desenvolvidos entre as corretoras Rico e XP chegarão ao mercado a partir de 1º de outubro. 

O fundo contará com aplicação inicial de R$ 10 e taxa de administração de 0,5% ao ano e o código ainda será divulgado pelas corretoras.

O ativo financeiro não conta com taxa de performance ou qualquer tipo de proteção cambial, contando com 63% dos aportes alocados em Bitcoin e 37% distribuídos em outras criptomoedas, como Ethereum (ETH) e Stellar (XML).

Para os investidores que tiverem interesse em adquirir o produto, poderão buscar pelo nome “Trend Cripto Dólar FIC FIM”, responsável por replicar o índice de criptomoedas da Nasdaq (Nasdaq Crypo Index).

Fundos passivos de criptomoedas não são os primeiros ativos do segmento 

Os fundos passivos de criptomoedas não são os primeiros produtos financeiros a causarem expectativa no mercado. 

Dentro do universo de criptomoedas, alguns ativos já se mostraram populares, principalmente levando em conta a oferta e demanda de alguns que fizeram sua estreia na bolsa em 2021.

O HASH11, por exemplo, é um ETF gerenciado pela Hashdex que estreou na B3 em abril deste ano e, em menos de dois meses de lançamento, já havia se transformado no segundo ETF mais popular do Brasil.

Em seguida, vieram outros ativos de ETF vinculados à criptomoedas, como um produto focado apenas em Ethereum e outro onde a preservação do meio ambiente e a construção de menos carbono foram valorizados.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo