Curso de criptomoedas da B3 é lançado nesta quarta-feira para investidores de varejo

Buscando popularizar cada vez mais o cenário de moedas digitais, o curso de criptomoedas da B3 anunciado anteriormente foi lançado nesta quarta-feira (08) com foco no investidor de varejo.

Oferecido de forma totalmente gratuita, o curso “Como Investir em Cripto na Bolsa” já pode ser encontrado na plataforma educacional da B3. 

Diante do crescimento contínuo das criptos, especialistas financeiros e a entidade máxima da Bolsa decidiram se reunir para ensinar conhecimentos básicos sobre o assunto a fim de evitar que os investidores caiam em possíveis golpes de pirâmides financeiras e saibam fazer a melhor escolha para seus ativos. 

O curso, que é gratuito, foi produzido em conjunto com a QR Asset Management, gestora de recursos da QR Capital, responsável por dois dos cinco ETFs de criptomoedas em funcionamento no Brasil. 

Mais detalhes sobre o curso de criptomoedas da B3

O objetivo com o curso de criptomoedas da B3 é um dos grandes destaques da Bolsa para os próximos dias, devendo ocupar boa parte da programação da entidade em propagar esse tipo de conhecimento. 

Nele, o investidor de varejo poderá ter acesso a informações como o funcionamento do mercado na íntegra, o uso de moedas digitais como reserva de emergência, além de mecanismos de consenso e segurança digital de dados. Dicas para a escolha de blockchains também são uma das pautas das aulas. 

Segundo Christianne Bariquelli, superintendente de Educação da B3, “A entidade está constantemente preocupada em oferecer, através da B3 Educação, insumos para que os investidores se sintam mais confiantes na hora da tomada de decisão. Investimentos atrelados ao mercado de criptoativos são recentes no Brasil e requerem entendimento por parte dos investidores. Acreditamos que esse curso da QR Asset, com apoio da B3, será para os investidores uma interessante fonte de conhecimento sobre o assunto, trazendo mais informações relevantes sobre as características desse tipo de investimento”, comentou à revista Exame. 

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo