Crescimento do comércio online deve continuar mesmo depois da pandemia

De acordo com estudo realizado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), o crescimento do comércio online deve continuar acelerado  seguindo o mesmo fluxo no próximo ano, mesmo com o fim das restrições provocadas por conta da Covid-19.

O estudo feito em agosto deste ano abordou sete capitais brasileiras e mostrou que 59,5% das famílias entrevistadas realizaram compras pela internet. Desse total, 44% disseram que vão continuar fazendo aquisições à distância.

Quando se trata da parte financeira desse tipo de negócio, a pesquisa apurou que as famílias que ganham mais realizam mais compras desse tipo do que as que ganham menos. 

Quem possui renda acima de R$9 mil relata ter comprado 70% a mais via rede. Enquanto do outro lado da moeda, as pessoas com ganhos mensais de R$2 mil apresentaram aumento de 41% referentes a compras pela internet.

Crescimento do comércio online dobrou o faturamento do varejo

Outro estudo feito pela FGV mostrou que o crescimento do comércio online durante o isolamento resultou num aumento das rendas do comércio brasileiro.

A título de comparação, antes de 2020, as vendas pela internet representavam 9,2% do faturamento das lojas, porém, em julho do mesmo ano, a porcentagem aumentou para 19,8%. No sexto mês de 2021, a quantia era de 21,2%.

De acordo com Rodolpho Tobler, coordenador da pesquisa feita pela FGV, o resultado confirma que as empresas aceleraram o crescimento do comércio digital na pandemia. O motivo disso se deve a minimização dos impactos negativos da queda de circulação de pessoas em lojas físicas.

Houve também um aumento de empresas que passaram a optar por esse tipo de comércio. Até o começo do Coronavírus, 49,7% das instituições não faziam nenhuma venda online. Em julho de 2020, esse número diminuiu para 28,4%, enquanto em junho de 2021, o percentual estava em 20,2%.

E-commerce apresentou recorde de vendas no 1° semestre deste ano

Segundo relatório divulgado pela Ebit Nielsen, as compras pela rede faturaram R$53,4 bilhões no primeiro semestre deste ano.

O resultado apontou um crescimento de 31% em relação ao primeiro semestre do ano anterior, evidenciando que o comércio online está em constante crescimento.

A pesquisa também apurou que as negociações feitas por smartphones representam mais da metade do total de vendas online. 

+Leia também: Quantidade de investidores na B3 sobe 28% em um ano

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo