Segundo Day Ralio, novo aumento da política monetária do FED pode impactar o setor de tecnologia

De acordo com a recente fala do investidor bilionário Ray Dalio, o novo aumento da política monetária do FED (Sistema de Reserva Federal dos EUA) deve gerar um impacto sobre as ações do setor de tecnologia na Bolsa de Valores.

Segundo nota divulgada pelo departamento americano, um dos planos para 2022 é aumentar as taxas de juros durante este período, servindo como alternativa para frear a alta inflação notada em 2021 no país.

Seguindo as expectativas do mercado, a taxa terá três aumentos durante os 12 meses deste ano, sendo o primeiro no mês de março. Assim, analistas esperam que os fundos federais tenham um acréscimo de 0,75% a 1% ao ano.

Tendo em vista essa mudança, Ray Dalio notificou que mesmo não afetando diretamente a economia como um todo, algumas ações tendem a cair em épocas de alta de juros.

“Isso poderia fazer com que os preços dos ativos caíssem, porém este é um tipo de ciclo típico de sete anos de duração, com altas e baixas”, disse Dalio em uma entrevista no programa de televisão “Closing Bell”.

Porém, o investidor notou que as ações do setor de tecnologia vem demonstrando um comportamento de “bolha”, o que provavelmente as deixam vulneráveis com a nova alta da taxa de juros.

Como o aumento da política monetária do FED impacta na tecnologia?

O aumento da política monetária do FED impacta diretamente em ações de empresas tecnológicas pois acaba estagnando os resultados dessas companhias.

Assim, não é possível perceber crescimento financeiro dessas instituições diante de épocas com alta de juros.

Com isso, visando prazos médios, os investidores perdem grande parte dos retornos que seriam garantidos anteriormente.

O resultado disso é um crescente interesse desses acionistas por outros setores mais seguros dentro da Bolsa, como o bancário e o de renda fixa.

A queda já notada no setor de tecnologia

Com a recente nota do FED, empresas do setor de tecnologia já demonstraram queda nesta semana, como é o caso da Nasdaq 100, que apresentou baixa de 3,12% na última quarta-feira (05), sua maior negativa desde março do ano passado.

Outro papel que também demonstrou estar em queda após a mudança foi o ETF da Ark Invest, que despencou 12% desde o começo deste ano.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo