Após roubo de criptomoedas, hackers devolvem parte do valor

Após um dos maiores roubos de criptomoedas da história, os hackers responsáveis pelo ataque na terça-feira (10), devolveram todos os US$ 600 milhões em Ethereum e moedas digitais de menor expressão ao token nativo da Binance após a invasão do protocolo chinês da Poly Network.

Entretanto, os últimos US$ 268 milhões transferidos ainda seguem bloqueados em uma conta que precisa de senhas. Tanto da empresa, quanto do hacker para que a liberação do valor seja efetuada de maneira completa. 

De acordo com a rede americana CNBC, o desdobramento da situação pode estar longe de acabar, já que o montante pode ficar de “reserva” dentro dos ataques. 

Desdobramento do Roubo de criptomoedas

Ainda como parte dos desdobramentos, alguns especialistas acreditam que a senha seja uma forma dos hackers ainda terem posse dos fundos no momento que quiserem, segundo a análise de blockchain Elliptic nesta sexta-feira (13).

Diante do desdobramento do caso, uma nota oficial foi divulgada pela empresa referente a uma das transações de moedas digitais nessa manhã. Como argumento o hacker disse que “forneceria a chave final quando _todo mundo_ estivesse pronto”. A identidade dos hackers envolvidos nos ataques ainda não foi revelada.

Sobre a Poly Network

A Poly Network é uma das principais plataformas descentralizadoras que permite a conversão de criptomoedas de forma automática, aliando custo e benefício aos investidores. Entre elas, é possível realizar operações de forma simples e descomplicada.

Atualmente a empresa trabalha com três tipos de tecnologias distintas, com registros distribuídos entre Binance, Smart Chain, Etherey e a própria Polygon. 

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo